Categoria: Cinema (page 1 of 3)

Assista o filme “Benzinho” grátis no cinema!

Participe do nosso sorteio e ganhe uma entrada dupla para a projeção de “Siempre Juntos” (“Benzinho“) no nosso perfil do Instagram, em versão original e com legendas em espanhol.  O filme conta a história de Irene, que se desdobra para dar conta de uma rotina que envolve família, trabalho e estudos. Mas, quando seu primogênito é convidado para jogar handebol na Alemanha, ela terá que aprender a construir seu novo dia a dia e a manter sua família unida.

Leia mais

Ganhe uma entrada dupla para “Altas Expectativas” no Festival Inclús

O Festival Internacional de Cinema e Discapacidade de Barcelona, Inclús, começa sua sexta edição hoje no CaixaForum. Até domingo, será realizado um concurso audiovisual de filmes (longas-metragens, curtas-metragens, ficção e documentários), além de diversas atividades complementares, com o foco na diversidade funcional, cujo objetivo é tornar a realidade das pessoas com deficiência conhecida de um ponto de vista diferente.

Este ano, há um filme brasileiro escolhido para a seleção oficial: “Altas expectativas“, de Álvaro Campos e Pedro Antônio Paes. A exibição está marcada para domingo, dia 2 de dezembro, às 12h30min. O filme é projetado na versão original, com legendas em espanhol.

Leia mais

Mostra de cine Tânia Montoro: último filme, dia 11 – Hollywood no Cerrado

Dia 11 de junho, segunda-feira, às 19h
na Sala Gabriel Oliver, da Faculdade de Filologia da Universidade de Barcelona
C/ Aribau 2

Com a presen ça da diretora homenageada Tânia Montoro

“Hollywood no Cerrado” conta saga de atrizes norte-americanas em Anápolis

Muita gente vai achar que é história de ficção. Mas a premissa do documentário Hollywood no Cerrado é verdade. Joan Lowell, Janet Gaynor e Mary Martin eram atrizes do primeiro time do cinema mudo norte-americano quando resolveram trocar o star system de Los Angeles pelo sistema bruto do interior do Brasil, durante a década de 1950. Em Anápolis – GO (distante 152km de Brasília), elas viraram fazendeiras e se misturaram aos cidadãos anapolinos para deixar uma marca, somente agora narrada pelo cinema.

O resgate da história dessas atrizes foi feito pelos cineastas e professores da Universidade de Brasília (UnB) Armando Bulcão e Tânia Montoro, codiretores do documentário. Tânia nasceu em São Paulo, mas passou boa parte da infância em Anápolis. Ouvia o povo falar sobre as moradoras ilustres com curiosidade infantil da cinéfila em formação. “Anápolis era uma cidade moderna, contemporânea. Quase ninguém sabe, mas a cidade tem uma tradição cinematográfica grande. Existiam muitas salas de cinema lá. Quando eu era pequena assistia a várias sessões no mesmo dia no Cine Vera Cruz, Majestoso e Imperial. A minha cinefilia começou assim”, resume.

Feito dois desbravadores, os cineastas voltaram aos prováveis locais onde as atrizes haviam construído mansões babilônicas no meio do Cerrado. Encontraram as construções em ruínas. Mas um mosaico formado pela memória dos que conviveram com as estrelas possibilitou a montagem da história feita com depoimentos de mais de 30 pessoas. Entre eles, o Dr. Ivan Roriz, dono de boa parte dos cinemas da região, e da atriz Eliane Lage, que também optou por morar no interior do Brasil. “É uma história feita de causos. A estrutura é mosaica, narrada de forma rápida. A ideia era montar uma enciclopédia mesmo e não explicar tudo”, reflete Bulcão. De fato, a narrativa abre-se em diversas abas com alguns eixos norteadores.

https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/diversao-e-arte/2011/05/04/interna_diversao_arte,250769/hollywood-no-cerrado-conta-saga-de-atrizes-norte-americanas-em-anapolis.shtml

Mostra de Cinema Brasileiro Tânia Montoro

A Mostra de Cinema Brasileiro Tânia Montoro 2018, uma iniciativa conjunta da Associação de Pesquisadores e Estudantes Brasileiros na Catalunha  (APEC)  e do Centro Cultural do Brasil em Barcelona com o apoio Consulado-geral do Brasil em Barcelona e da Escola Oficial de Idiomas Barcelona Drassanes, será o marco privilegiado para debater, com a professora Lisabete Coradini, a  história e a cultura brasileira entre os dias 27 de abril e 8 de junho.

Este ano, cinco filmes mostrarão, desde diferentes perspectivas, a diversidade do patrimônio cultural brasileiro. O cinema do Brasil possui uma produção de mais de 120 anos de história. A produção brasileira cresceu de forma bastante diversificada – comédias, dramas, biografías, política e filmes de caráter policial – e consegue mobilizar um grande número de espectadores. Elencamos algumas dessas produções que trazem como fio condutor a narrativa de histórias de vidas, experiências e visão de mundo de que  tecem urdiduras entre memória individual e história pública. Esses filmes privilegiam diferentes territórios e momentos políticos no/do Brasil. Alguns filmes lidam com dramaticidades também presentes na cidade de Barcelona, como o processo de gentrificação, movimentos sociais, identidades, migração e utopias.

Este ciclo leva o nome da professora Tânia Montoro, pionera do Curso de Cinema da Universidad de Brasília (UnB). Montoro é doutora em comunicação pela UAB, e pós-doutora pelo Instituto de Cinema de Amsterdã. Também é professora de Teoria e Linguagem de Cinema da UNB , foi conselheira nacional dos direitos da mulher (1985- 1989) coordenou o Lobby do Batom, lutando pela igualdade de gêneros, trabalha como curadora do maior festival de cinema brasileiro ( Festival de Brasília) nas últimas duas décadas. Orientou 40 dissertações de mestrados e 15 de doutorado sobre cinema latino-americano. Cidadã honorária de Brasília e membro fundador da Sociedade de Estudos de Cinema e do Núcleo de Estudos da Violência da UNB. Publicou oito livros e centenas de artigos distribuídos entre revistas científicas e de cultura.

A primeira exibição será nesta sexta-feira, às 19h15min, no CCBBcn, com o filme Narradores de Javé, de Eliane Caffè. O filme conta a história da pequena cidade de Javé , que será submersa pelas águas de uma represa. Seus moradores não serão indenizados e não foram sequer notificados porque não possuem registros nem documentos das terras. Inconformados, descobrem que o local poderia ser preservado se tivesse um patrimônio histórico de valor comprovado em “documento científico”. Decidem então escrever a história da cidade – mas poucos sabem ler e só um morador, o carteiro, sabe escrever. Depois disso, o que se vê é uma tremenda confusão, pois todos procuram Antônio Biá, o escrivão da obra de cunho histórico, para acrescentar algumas linhas e ter seu nome citado.

Hora de Clarice 2017 em Barcelona – 11/15.12.2017

Abertura das comemorações na Escola Oficial de Idiomas - Embaixadora Maruia Elisa Berenguer, Cônsu-Geral do Brasil em Barcelona, e Profa. Dra. Elena Losada, da Universidade de Barceloona, conferencista

Abertura das comemorações na Escola Oficial de Idiomas – Embaixadora Maria Elisa Berenguer, Cônsul-Geral do Brasil em Barcelona, e Profa. Dra. Elena Losada, da Universidade de Barcelona, conferencista

2

"A estrela de Clarice", conferência da Profa. Dra. Elena Losada - Público presente

“A estrela de Clarice”, conferência da Profa. Dra. Elena Losada – Público presente

Dra. Sandra Cruz , titular de língua portuguesa na Escola Oficial de Idiomas, e Profa. Dra. Elena Losada

Dra. Sandra Cruz , titular de língua portuguesa na Escola Oficial de Idiomas, e Profa. Dra. Elena Losada

Cinema Girona - Projeção do filme "A hora da estrela", de Susana amaral

Cinema Girona – Projeção do filme “A hora da estrela”, de Susana Amaral

No Cine Girona - Embaixadora Maria Elisa Berenguer, Cônsul-Geral do Brasil, e Ministro Gustavo Menezes, Cônsul-Geral Adjunto do Brasil em Barcelona

No Cine Girona – Embaixadora Maria Elisa Berenguer, Cônsul-Geral do Brasil, e Ministro Gustavo Menezes, Cônsul-Geral Adjunto do Brasil em Barcelona

Ato final da Hora de Clarice - Clube de Leitura da Escola Oficial de Idiomas - Leitura de "Laços de família"

Ato final da Hora de Clarice – Clube de Leitura da Escola Oficial de Idiomas – Leitura de “Laços de família”

Cinema de Glauber Rocha na Filmoteca da Catalunha

Festival Márgenes: Glauber Rocha – 12-30.dez.2017


Festival Márgenes: Glauber Rocha – 12-30.dez.2017

 

 

 

 

 

cabecas_cortadas_2

 

 

 

http://www.filmoteca.cat/web/programacio/cicles/festival-margenes-glauber-rocha

HORA DE CLARICE 2017 em Barcelona

programa para web 1programa para web 3programa para web 4programa para web 2

Lúcia Veríssimo comenta seu filme “Eu, meu pai e Os Cariocas”

eu-meu-pai-cariocas

Na segunda-feira, 30 de outubro, entre 19h e 20h, Lúcia Veríssimo estará no Centro Cultural do Brasil em Barcelona para, com alunos do centro e público em geral, conversar sobre seu filme “Eu, meu pai e Os Cariocas”, que, na terça-feira, dia 31,  será exibido no Cine Aribau, no âmbito do festival In-Edit.

Leia mais

Dia do Brasil 2017: Cinema brasileiro em Barcelona, no Cine Girona

mulherdopai

De 14 a 17 de setembro

Todos os filmes serão exibidos no Cinemes Girona (C/Girona 175).

http://www.diadebrasil.es/muestra-de-cine-brasileno/1 Mulher do pai

2 Martírio

3 Para ter onde ir

4 Jonas e o circo sem lona

5 Animal político

http://www.diadebrasil.es/muestra-de-cine-brasileno/

 

 

2ª Mostra Novocine na Filmoteca – De 1 a 6 de setembro

cine brasil 2novo cine 2017

 

Chega à Filmoteca da Catalunha a 2ª Mostra Novocine Barcelona, para dar a conhecer ao público catalão as últimas produções do Brasil. Com o objetivo de revelar as chaves da expansão cinematográfica do país, a mostra traz à cidade condal os filmes “Nise”, “Irmã Dulce”, “Jonas”, “Um homem só” e “O vendedor de passados”, inéditas na Catalunha.
A mostra é uma iniciativa do Consulado-Geral do Brasil em Barcelona, com apoio da Fundação Cultural Hispano-Brasileira, e acontece de 1º a 6 de setembro, na Filmoteca da Catalunha, Plaça Salvador Seguí, 1-9 – 08001 Barcelona.
Entrada: 2€ a 4€
Mais informação: https://goo.gl/HG5mQU

Sexta-feira 01/09 – 19h
Nise: O Coração da Loucura
ROBERTO BERLINER, 2015. Com: Glória Pires, Simone Mazzer, Julio Adrião, Claudio Jaborandy, Fabrício Boliveira, Roney Villela. Brasil. VOSE. 105′.
Ao voltar a trabalhar em um hospital psiquiátrico no subúrbio do Rio de Janeiro, após sair da prisão, a doutora Nise da Silveira (Gloria Pires) propõe uma nova forma de tratamento aos pacientes que sofrem de esquizofrenia, eliminando o eletrochoque e lobotomia. Seus colegas de trabalho discordam do seu meio de tratamento e a isolam, restando a ela assumir o abandonado Setor de Terapia Ocupacional, onde dá início a uma nova forma de lidar com os pacientes, através do amor e da arte.

Sábado 02/09 – 19h
O Vendedor de Passados
LULA BUARQUE DE HOLLANDA, 2015. Com: Alinne Moraes, Lázaro Ramos, Mayana Neiva, Ruth de Souza, Marcelo Escorel, Odilon Wagner. Brasil. VOSE. 100′.
O que você faria se pudesse alterar erros ou lembranças dolorosas do passado? Esta é a profissão de Vicente (Lázaro Ramos): ele vende passados às pessoas, criando documentos, fotos e outros indícios necessários para reescrever a história. Esta trama é uma adaptação do livro de mesmo nome, escrito pelo angolano José Eduardo Agualusa.

Domingo 03/09 – 19.30h
Jonas
LÔ POLITI, 2015. Com: Jesuíta Barbosa, Laura Neiva, Criolo, Paulo Américo, Ariclenes Barroso, Roberto Berindelli. Brasil. VOSE. 90′.
Em pleno Carnaval um rapaz (Jesuíta Barbosa) sequestra a filha da patroa da sua mãe, por quem sempre foi apaixonado, e a mantém refém dentro de um carro alegórico em forma de baleia. Presos na “barriga” do animal, eles iniciam um romance.

Terça-feira 05/09 – 21.30h
Irmã Dulce
VICENTE AMORIM, 2014. Com: Regina Braga, Bianca Comparato, Gracindo Júnior, Fábio Lago, Zezé Motta, Glória Pires, Zezé Polessa. Brasil. VOSE. 94′.
Cinebiografia de Irmã Dulce (Bianca Comparato/Regina Braga), que, em vida, foi chamada de “Anjo Bom da Bahia”, também indicada ao Nobel da Paz e beatificada pela Igreja. Contemplando da década de 1940 aos anos 1980, o filme mostra como a religiosa católica enfrentou uma doença respiratória incurável, o machismo, a indiferença de políticos e até mesmo os dogmas da Igreja para dedicar sua vida ao cuidado dos miseráveis – personificados na figura do fictício João (Amaurih Oliveira) –, deixando um legado que perdura até hoje.

Quarta-feira 06/09 – 21.30h
Um homem só
CLÁUDIA JOUVIN, 2016. Com: Vladimir Brichta, Luiza Mariani, Mariana Ximenes, Ingrid Guimaraes, Otávio Müller. Brasil. VOSE. 94′.
Arnaldo (Vladimir Brichta) é um homem que está infeliz no casamento e no trabalho. Para tentar resolver seus problemas, ele procura uma clínica que promete copiar as pessoas para livrá-las da vida miserável que levam. Com um clone ocupando seu lugar ele poderia começar uma vida nova, mas na hora do radical procedimento surge a dúvida sobre se é isto que ele realmente deseja fazer.

Older posts